Alcides Lintz




Titular em 24/07/2021

Especialidade:

Acadêmico Patrono

Cadeira: 52

Patrono:


Mini currículo:

"Como Diretor do Saneamento Rural, informo que o Dr. Alcides Lintz no desempenho do cargo de Chefe do Serviço de Saneamento Rural do Estado do Rio de Janeiro, no período de 31 de dezembro de 1927 a 20 de novembro de 1930, foi um dos auxiliares de mais dedicado esforço e de maior zelo em prol de sua agitada comissão. Sua cooperação inteligente e leal foi da mais alta valia, particularmente no combate ao surto da febre amarela que assolou o território fluminense. Nesse sentido particularmente foi um abnegado".


Dr. Lafaiete Cavalcante de Freitas.



Nasceu o patrono desta cadeira na Cidade do Rio de Janeiro onde, na Faculdade Nacional de Medicina, formou-se em 1916, aos 26 anos de idade.

O Diretor da Faculdade Fluminense de Medicina agradece ao Prof. Alcides Lintz pelos valiosos serviços prestados a esta Faculdade ministrando aulas a dependentes de outros professores, coisa que V.Exa. tem praticado com eficiência e dedicação.

Aos 40 anos, professor catedrático da 3ª cadeira de Clínica Médica só interrompendo em 1941, quando assumiu a direção do Departamento de Saúde Escolar da PDF. Encerrando a cátedra em 1960, aos 70 anos de idade, deixou marca indelével do mestre amigo.

No manuseio que fizemos das frias páginas de arquivo encontramos o calor e a vida nos adjetivos que transbordam do seu passado: dedicado e esforçado. Zeloso e cooperante. Inteligente e leal. Valioso e abnegado. Eficiente e dedicado. Prestativo e cooperante. Cientista competente.

Em 10 de janeiro de 1952, o diretor da Faculdade Fluminense de Medicina, designa o Prof. Alcides Lintz para fazer parte da Comissão que estudará as bases de um convênio a ser estabelecido entre esta Faculdade e o Hospital Antônio Pedro. Assim o fez, e lutou com sacrifício. Enfim, o sonho realizado, o hospital e as aulas práticas plenas de ensinamentos a beira do leito, pois não só como educador teórico e sim como homem do campo, nas enfermarias e ambulatórios cujo zelo se demonstra nas inúmeras requisições e exigências. Mesmo quando acidentado de automóvel em 1940, era preocupação sua, designação de substituto para que os alunos não ficassem sem aula prática.

Porém, mais tarde recebe do diretor da Faculdade Fluminense de Medicina uma dura mensagem na qual não escapou dos desencontros administrativos: Tendo o Diretor do Hospital Antônio Pedro comunicado a esta Faculdade que algumas aulas vêm sendo dadas no recinto das enfermarias, trazendo inconvenientes ao bom andamento dos serviços, venho apelar para serem as vossas aulas dadas fora das enfermarias.


Não representou para ele quebra de elan: "PARA QUEM POR AMOR COMETIA PECADO".


Em 1958, o Diretor da Faculdade Fluminense de Medicina participa que fostes encarregado de em nome dos professores desta Faculdade saudar o Prof. Pedro da Cunha pelo título de Professor Emérito, no Anfiteatro Carlos Chagas.

Honra que na sua humildade soube torná-lo grande.

Aos 70 anos afasta-se compulsoriamente da cátedra, deixando uma estrada de luz onde hoje, os que por ela passaram, perpetuam sua memória.



 

Biografia escrita pelo Acadêmico, Cadeira nº 52, Salvador Borges Filho.


Currículo Lattes